Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Feliz

Ser Feliz

16
Dez18

Os nutrientes que recheiam a vida

Carla Lopes Gomes

Há várias formas de encarar a vida. As mais extremas e aparentemente antagónicas são, no fundo, tão idênticas - a ilusão e o derrotismo. Porque a sua distância poderá encurtar-se, tal como o início e fim de dois ciclos. Porque a ilusão de que tudo é perfeito e que nada depende de ti, a ilusão de que a vida se encarrega de colocar tudo no seu devido lugar e no momento certo sem o teu contributo, sem o teu trabalho... Essa tua ilusão que te eleva o estado de espírito e te faz viver uma felicidade que tu inventaste mas que não é real... Essa ilusão contribuirá para o teu derrotismo. Por outro lado, o teu espírito de derrotista poderá fazer-te ver uma realidade ilusoriamente mais negra do que na realidade é. A vida é como um bom prato de comida, precisa ser temperada. Não vivas na ilusão e não sejas derrotista. Terás dias mais doces do que outros, porque é preciso. Precisas de alimentar o teu organismo com vários ingredientes... A vida não é diferente. Aplica-te e recheia-a dos melhores ingredientes, sempre que conseguires. Evita uma má digestão. Mas se esta ocorrer, aniquila o seu efeito de imediato com o medicamento certo. Na tua vida não há melhor remédio do que sorrir. Lembra-te de fazer várias tomas diárias desse medicamento e sê feliz!

14
Dez18

Quando o fim e o início se encontram

Carla Lopes Gomes

A vida é feita de ciclos. O fim de um ciclo coincide com o início de outro. Nem sempre mudar de ciclo é fácil. A forma como encaras essa mudança será determinante para os primeiros passos do ciclo seguinte. Resta saber se tu preferes focar-te no fim de algo que não queres que termine ou num início que desconheces mas cujo percurso tu poderás construir.

20
Nov18

A maravilhosa complexidade do ser humano e o controlo natural da vida

Carla Lopes Gomes

Foto Vitec.jpg

 

No passado fim-de-semana tive uma nova experiência - ser entrevistada pela Sónia Bettencourt, jornalista da VITEC. Foi uma entrevista onde a boa disposição esteve presente e se falaram de temas que nos tocam a todos.

Falamos de sorrisos, sonhos, persistência, luta. Falamos sobre a complexidade do ser humano e a necessidade de descobrir e obedecer à sua essência. Falamos sobre esperança, sobre fé e sobre uma sorte que só surge verdadeiramente quando a construimos de forma diária. Falamos do quão diferentes somos de uma simples máquina, que tem um botão e uma programação própria. Falamos de uma multiplicidade de características que nos define e faz de nós pessoas capazes, com erros, com dificuldades, mas com vontades, com persistência e, por isso, tão indispensáveis e tão essenciais numa sociedade onde precisamos cada vez mais sorrir.

Frisei, mais uma vez, que todos nós temos capacidades que são impossíveis de introduzir numa máquina. E é isso que faz a diferença. Torna a gestão mais complexa? Contribui para que a vida seja cada vez mais algo subjetivo? Sim, sem dúvida. Mas o segredo está em encontrarmos a nossa essência e procurarmos o foco que precisamos para percorrer os vários caminhos desta viagem vida.

Existem caminhos desconhecidos. Existem trilhos mais fáceis do que outros. Existem desvios que se impõem e surgem surpreendentemente. Existem atalhos que encurtam as distâncias. Mas... existem sempre lições a retirar, estratégias a adotar, limitações para aceitar, a necessidade de adequar às circunstâncias e, ainda assim, impor algumas rotinas que poderão temperar a vida com um pouco mais de objetividade e atenuar a sensação de que nada é controlado por cada um de nós. E efetivamente, não o é. A vida estará naturalmente controlada no dia em que cada um de nós aceitar que os obstáculos, as dificuldades, os imprevistos, as nossas limitações e as condicionantes do nosso meio envolvente se uniram para fazer de nós amanhã pessoas mais sábias e dotadas de uma capacidade de adaptação muito superior.

A vida encarregar-se-á de mostrar a cada um de nós que tudo está controlado naturalmente se deixarmos o rio vida fluir pelo seu circuito natural. Sem imposições, sem objeções. Com aceitação, com luta, com persistência. Com coragem, com sorrisos, com sonhos. E no outro lado da margem do rio, cada um de nós será um ser mais capaz, fiel à sua essência, que evoluiu e que, por isso, saboreou a vida com a certeza que fez do seu percurso um percurso de felicidade.

 

Foto Vitec2.jpg

Fotos: Tiago Sousa                        Entrevista completa em www.azorestv.com

 

25
Out18

O que o meu anjo da guarda me diria hoje...

Carla Lopes Gomes

sol-coracao.jpg

 

Que a vida te cubra de rosas quando os teus olhos já não conseguirem vislumbrar este belo jardim por onde passas diariamente. Que o vento seja o teu aceno de bom dia a passar por mim e que tudo se resuma a um presente livre de dor e onde o amor reinará.

Que a alegria seja a força das tuas entranhas. Que o sorriso seja a tua marca presente num presente que deixou de ser só teu e passou a ser de todos os que acompanham este ritmo alucinante da vida.

Que o brilho das minhas asas seja sempre o teu manto protector e que consigas voar sem asas próprias. Que o meu colo seja o teu colo e que eu possa te transportar quando te sentires enfraquecer. Que a tua força se renove em mim e que tudo persista nesta linha de imenso amor que nos une hoje e sempre.

Que a chuva que cai velozmente sobre o teu jardim seja um regar com reservas para os dias secos. Que possas embuir-te da minha frescura mesmo quando o calor surgir. Que a vitalidade da natureza seja um espelho do que deves ser - puro e obediente à tua essência. Que as aves possam cantar-te e que tu sejas capaz de as perceber.

Que o sol seja um abraçar que vem dos céus e que te permita ver a importância de te abraçares a ti mesmo. Ama-te. Cuida-te. Trata de ti. Tantos dependem de ti. É preciso restaurar forças. É preciso garra. Determinação. Avança. Segue o teu coração. Escuta a tua intuição. Medita contigo mesmo e tirarás as conclusões necessárias.

 

 

15
Out18

Outono, fala comigo

Carla Lopes Gomes

Foto2.jpg

 

Quero muito descodificar o que a vida me tenta transmitir. Vivo a acreditar que a terra respira, que o mundo vibra, que tudo tem um motivo, e que cada um de nós nem sempre o consegue perceber.

Olho à minha volta e tento interpretar os sinais, fazer leitura do que a própria vida me escreve. Em cada linha há uma lição. Em cada parágrafo uma nova aventura.

E tu surges, meu Outono, no meio de tudo isto para me fazeres ver a tua nudez com a queda de lindas folhas, a tua beleza em tons de castanho e dourado, a tua neblina, os dias sombrios, o cinzento do teu céu, a chuva e seus salpicos. O correr das ribeiras, a migração de muitas aves... Tu és um abre olhos. Tu és a mensagem principal que a vida me dá. Tudo se renova, tudo morre e renasce, tudo floresce depois da nudez e do frio.

A vida é muitas vezes Outono, que me avisa que é preciso parar, é preciso pensar, é preciso saber esperar. É preciso enfrentar a chuva, é preciso perder folhas para mais tarde as voltar a ganhar. O Outono é um símbolo de mudança, de viragem. 

E por isso, hoje falo contigo, meu Outono. Orienta-me e ensina-me a seguir no caminho certo. Não peço, porque nunca pedi, o mais fácil. Quero apenas aprender a mudar, e a mudar por querer mudar, não apenas porque a vida a isso me obriga. Quero mudar os percursos necessários para recuperar o equilíbrio necessário a um belo Verão na minha vida. Por isso, meu Outono, prepara-me melhor para a vida. Que eu seja capaz de lutar por uma bonita e breve Primavera.

 

|imagem - Nature Galaxy|

05
Out18

Filho, o poder do teu silêncio...

Carla Lopes Gomes

Meu filho. Meu anjo-da-guarda. Minha companhia. Minha proteção. Meu melhor silêncio. Meu pequeno grande amor. Tu és a prova de que os mais pequenos podem ensinar tanto aos mais velhos. Tão pequenino e já demonstras uma grande força. 

Ontem, a enfermeira perguntava-me se eras feito de borracha. Nem pestanejaste na primeira vacina e à segunda gemeste por poucos segundos. As tuas gargalhadas genuínas e os teus sorrisos tão meigos fazem encher-me de orgulho. Consegues colocar sorrisos nos meus lábios, nos meus olhos e na minha alma. Mas mais do que isso... o teu silêncio faz-me viajar ao meu interior e perceber que o melhor da vida está aqui nos meus braços, a repousar sobre mim.

O teu silêncio e paz provam-me uma vez mais que a grande virtude da vida está em valorizar as pequenas coisas. Porque há pequenas coisas que são tão grandes. E ironicamente há coisas que por vezes julgamos grandes e são tão pequenas perante o que realmente importa. No meu e no teu silêncio peço a Deus que eu tenha sempre a capacidade de valorizar as pequenas coisas e ser fiel à minha humildade. Que seja capaz de te transmitir estes valores e que tu consigas um dia compreender que quanto mais pequeno pensares ser maior te tornarás.

28
Set18

Quatro meses de mãe - quem mima mais quem?

Carla Lopes Gomes

Quatro meses...! Quatro meses é o tempo exato que os meus olhos conhecem os teus. E no entanto, eu já te conhecia. O meu coração já ameaçava há muito ser mais teu do que meu. O meu pensamento já te pertencia, por vezes até de forma inconsciente. Agora faço o balanço de te ter na minha vida. E só pode ser maravilhoso. Ter-te na minha vida é uma benção. Poder envolver os teus braços no meu pescoço é uma dádiva. Ter as tuas gargalhadas matinais e o teu sorriso genuíno, com covinhas nessas bochechas que me enchem de orgulho, é ganhar um novo sentido na minha vida. Hoje não sei se sou mais viciada em ter-te no meu colo do que tu próprio em pedir para cá vir. Pergunto-me quem terá mais vício de dormir junto ao teu calor e perfume. Tu ou o papá e a mamã? Pergunto-me quem precisa mais de mimos? Tu dos meus ou eu dos teus? A tua energia contagiante por vezes ameaça a resistência das minhas "pilhas", mas é tão bom, tão bom, tão bom ter-te todos os dias presente na minha vida.

19
Set18

Se um anjo falasse comigo hoje, o que me diria?

Carla Lopes Gomes

Não confundas esperança com negação.

A não aceitação das coisas pode camuflar-se e tu amplias um estado de espírito de esperança fictício.

Esperança é importante, mas não é essencial. A fé, essa sim é fulcral. Porque é à fé que deves buscar forças para atuar, é a fé que te impulsiona a agir. Quando perdes a fé, porque já não sentes forças para caminhar, também precisas analisar até que ponto a esperança que dizes sentir é mesmo esperança.

Lembra-te sempre, adiar as coisas nunca é uma boa escolha. Tenta, sempre que possas, agir no momento certo e para de adiar cada passo. Quando retardas aquilo que receias, o resultado pode ser pior. É preciso encarar a realidade. E deves começar hoje. Não continues a deixar para amanhã, e para depois, e para depois.

Quando a tempestade passar, vem o bom tempo. Mas é preciso fechar janelas, é preciso trancar portas e tentar minimizar os estragos do vento. Isso faz parte do teu percurso. E tu não podes saltar de um trilho para o outro sem que haja um atalho que o permita. Deves ter esperança de que o resultado final é suportável e faz parte da tua lição de vida. Tudo é aprendizagem. Por isso é tão importante teres fé. Só quem sente verdadeiramente a fé pode entender isto que digo.

03
Set18

Saúde, bem-estar e felicidade

Carla Lopes Gomes

31275777_434587100325935_5068934304927370814_n.jpg

 

A saúde e o bem-estar são elementais fulcrais neste percurso que eu designo de felicidade.

A tua saúde e bem-estar vão definir em cada momento as tuas emoções, dando o seu contributo para que te sintas bem com a vida e, em determinados momentos, nem tanto.

Quando estás debilitado fisicamente o teu estado de espírito é naturalmente afetado. Por isso é tão importante cuidares de ti.

Quando cuidas de ti contribuis para o teu equilíbrio a todos os níveis, sobretudo físico e emocional. Quando te descuidas abres portas a várias tempestades que te poderão abalar durante um período curto ou mais longo, consoante te encontres emocionalmente - a tempestade tristeza, a tempestade cansaço, a tempestade desânimo, entre outras. Não deixes que uma única tempestade entre na tua vida de forma permanente. Não permitas que pequenas tempestades se transformem em furacões que arruinarão a tua felicidade. Fica atento, sê perspicaz e, então, perceberás que as pequenas tempestades da vida são como a trovoada que vem anunciar uma mudança do tempo. Toda e qualquer tempestade que atravesses te permite crescer e seguir em frente de forma mais firme. Mas o mais importante que quero que percebas é que podes ser sempre feliz, venha a tempestade que vier. Nada surge na tua vida para te derrubar mas sim para te erguer do caos que crias com as tuas próprias mãos e tornar-te amanhã numa pessoa muito mais forte do que és hoje. Porque ser feliz é persistir, é seguir em frente de cabeça erguida, mesmo quando sentes martelar o pescoço na direção Sul.

Se a felicidade fosse o resultado de uma vida demasiado simplista, com base num manual de instruções e sem dificuldades, não encontrarias uma única pessoa feliz. A palavra felicidade seria extinta da realidade humana. Ser feliz é simplesmente saber caminhar com o que a vida te reserva, adaptando o seu compasso, parando, por vezes, no tempo, outras vezes avançando em corrida... Mas sempre improvisando, porque tudo é inesperado, tudo surge do nada. Ser feliz é simplesmente viver. E viver... viver é abraçar os sonhos e correr atrás deles com o espírito reguila de uma criança mas com a consciência de um adulto que já atravessou várias estradas e auferiu a maturidade necessária para sorrir para a vida mesmo quando esta nem sempre lhe sorri.

 

|imagem - Nature Galaxy|

Compre o livro e contribua com 2€ para a Make-A-Wish

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D