Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Feliz

Ser Feliz

13
Nov18

Eu em primeiro lugar!

Carla Lopes Gomes

31404008_435839986867313_7386181493773100231_n.jpg

 

A forma como agimos no dia-a-dia influencia o estado de espírito das pessoas à nossa volta. Porque quer a tristeza quer a alegria são contagiosas. Um sorriso é tão poderoso, pois um simples sorriso pode melhorar o dia de alguém.

Mas ser feliz não significa sorrir todos os dias. Pelo contrário. Para que cada um de nós seja feliz é crucial obedecer à sua essência. E para nós sermos nós próprios, na nossa essência, precisamos conhecer a palavra "não", precisamos respeitarmo-nos acima de tudo, precisamos amarmo-nos antes de tudo para conseguirmos amar verdadeiramente quem nos rodeia.

Mas para que isso aconteça é necessário exteriorizar emoções, é importante não recalcar. Nem sempre estive nos dias mais felizes quando me viram sorrir e nem sempre estive verdadeiramente triste quando me viram chorar. Porque gerir as emoções faz parte do processo.

 

|imagem - Nature Galay|

07
Nov18

Mais um dia muito especial!

Carla Lopes Gomes

Apresentação1.jpg

 A vida é feita de momentos e, sem dúvida, ser feliz passa por saber saborear esses momentos.

O meu calendário da vida marcou ontem mais um desses momentos, onde o amor e a partilha supera tudo. Onde o diálogo, o abraço e o sorriso nos impulsionam a seguir em frente. A persistir, sempre.

Ontem, dia 6 de novembro, no dia que comemorei exatamente seis meses que realizei o lançamento do meu livro naquela mesma sala, fui igualmente feliz.

Há seis meses atrás estava a poucas semanas de ter o primeiro corte umbilical com o nasciApresentação2.jpgmento do meu primeiro filho. Agora estou a poucas semanas do segundo corte umbilical - o regresso ao trabalho e a impossibilidade de estar com o meu amor maior 24h por dia.

A vida é feita de desafios e cabe-me enfrenta-los diariamente tendo presente a força de acreditar e a persistência que sempre fez parte do meu percurso. O meu livro trouxe essa responsabilidade. A responsabilidade de obedecer fielmente à minha essência. Hoje tenho amigos que quando falam comigo, nos momentos em que me sinto triste, utilizam os exemplos do meu livro, afirmando que eu é que escrevi, que eu é que digo e, que, portanto, tenho a obrigação de não me esquecer de aplicar. E é um facto. Tento relembrar-me todos os dias dos elementos fulcrais do meu livro, para que possa aplicar diariamente na minha vida e servir de exemplo para os que me são mais próximos: acreditar, persistir, lutar, aceitar, sorrir, amar muito os outros sem esquecer de amar a mim própria, ter foco, respeitar-me, continuar a sonhar, ser eu mesma na minha essência, gerir emoções e, em suma, ser feliz.

Apresentação3.jpg

 

25
Out18

O que o meu anjo da guarda me diria hoje...

Carla Lopes Gomes

sol-coracao.jpg

 

Que a vida te cubra de rosas quando os teus olhos já não conseguirem vislumbrar este belo jardim por onde passas diariamente. Que o vento seja o teu aceno de bom dia a passar por mim e que tudo se resuma a um presente livre de dor e onde o amor reinará.

Que a alegria seja a força das tuas entranhas. Que o sorriso seja a tua marca presente num presente que deixou de ser só teu e passou a ser de todos os que acompanham este ritmo alucinante da vida.

Que o brilho das minhas asas seja sempre o teu manto protector e que consigas voar sem asas próprias. Que o meu colo seja o teu colo e que eu possa te transportar quando te sentires enfraquecer. Que a tua força se renove em mim e que tudo persista nesta linha de imenso amor que nos une hoje e sempre.

Que a chuva que cai velozmente sobre o teu jardim seja um regar com reservas para os dias secos. Que possas embuir-te da minha frescura mesmo quando o calor surgir. Que a vitalidade da natureza seja um espelho do que deves ser - puro e obediente à tua essência. Que as aves possam cantar-te e que tu sejas capaz de as perceber.

Que o sol seja um abraçar que vem dos céus e que te permita ver a importância de te abraçares a ti mesmo. Ama-te. Cuida-te. Trata de ti. Tantos dependem de ti. É preciso restaurar forças. É preciso garra. Determinação. Avança. Segue o teu coração. Escuta a tua intuição. Medita contigo mesmo e tirarás as conclusões necessárias.

 

 

09
Ago18

Zona de conforto

Carla Lopes Gomes

O post de hoje surje em seguimento de um comentário que recebi no post de ontem "Não sejas pote". Efetivamente muitas vezes sentimo-nos como um balão que vai enchendo e enchendo, e não nos apercebemos que o nosso acumular de emoções e de coisas que ficam por dizer transformam-nos num pote que ameaça quebrar.

É verdade que nem sempre as pessoas que te rodeiam aceitam um "não". Mas não o aceitam porque talvez as habituaste a "sins". Talvez permitiste que se moldassem de forma a obter tudo o que querem de ti. Para os outros é confortável poderem contar com os teus "sins" e conseguirem antever as tuas respostas.

No dia em que disseres pela primeira vez "não", e até talvez dês um berro porque o teu pote já está a transbordar e o teu "não" vai atingir a velocidade própria de um rally e a intensidade sonora de um avião, os outros vão sentir a sua zona de conforto ferida. E não aceitarão à primeira, porque há um egoísmo inerente ao ser humano, que mesmo que não seja intencional, fará com que a reação seja tendencialmente conflituosa.

Tudo isso abalará, para além da zona de conforto dos que te rodeiam, a tua própria zona de conforto. Porque afinal dizeres sempre que "sim" foi mais confortável do que berrares um "não" maior do que os últimos vinte "sins" que acenaste com a cabeça.

O que custa é começar! Todas as pessoas são resistentes à mudança e têm um egoísmo inerente sobretudo quando algo fere o seu próprio conforto. Viver implica muitas vezes saíres da tua zona de conforto. Mas saíres da tua zona de conforto pode ser o início de uma mudança muito positiva na tua vida, permitindo-te encontrar respostas sem filtros e apontando um atalho que te levará ao encontro contigo mesmo(a) e, por conseguinte, ao restabelecimento do teu equilíbrio. Boa mudança e que o encontro com a palavra "não" te proporcione boas aprendizagens! 

08
Ago18

Não sejas pote

Carla Lopes Gomes

Foto blog.jpg

 

Quantas vezes o teu peito se invade de uma nostalgia que não sabes explicar? É como se fosses acumulando emoções que não evidenciaste no momento devido, é como se colocasses num pote a energia que querias libertar, mas não libertaste. 

Muitas vezes escuto algumas pessoas que em senso comum tentam definir aqueles que não gritam, não refilam, não pestanejam, que desconhecem a palavra "não"... definem-nos como um balão, que vai acumulando o que ficou por dizer. É um balão que vai enchendo, e enchendo, até rebentar. 

Pois eu acho que muitas vezes o problema é não seres balão. Se fosses balão poderíamos evidenciar a tua elasticidade, o teu aumento de volume, como pré-aviso de que o limite da elasticidade está a chegar. Os outros conseguiriam prever o teu rebentamento, o que permitiria uma antecipação, possibilitando aos que te rodeiam atuar para evitar o pior. Neste caso, evitar que o balão se autodestrua. 

O problema maior é não seres balão e seres pote. Porque o teu pote de barro não tem elasticidade, não tem qualquer flexibilidade na forma como acumula as coisas. E tu, mesmo assim, podes continuar a enchê-lo e a enchê-lo. E muitos à tua volta nem darão conta. Chegará o momento em que não será apenas ar que colocarás lá dentro. Até porque quando abres o teu pote, parte do ar escapa. O problema maior virá quando começares a colocar objetos, a colocar pequenos graus de areia e depois calhaus... chegará o dia em que o risco de forçar o pote será grande e o teu último calhau pode estalar as paredes do teu pote. E ninguém previu, e ninguém deu por nada. O pote estava intacto com a sua tampa e ninguém conhecia o seu conteúdo, até que estalou. E quando estalou, os outros viram que não eras resistente a tudo, os outros perceberam que exigiram demais do(a) super homem(mulher) e correram a aparar os cacos. 

Não faltarão, provavelmente, mãos para colar os cacos, mas o pote jamais será o mesmo. Cuida de ti e não permitas que a vida te conduza por um caminho que só tu podes colocar um sinal de sentido proibido. Não te distraias e não transformes a pessoa que és num simples pote, que não reage senão no momento de se autodestruir. 

Cuida de ti e ama-te, porque a vida é curta, mas tu tens a capacidade de a engrandecer. 

 

|imagem - Nature Galaxy|

Compre o livro e contribua com 2€ para a Make-A-Wish

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D