Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Ser Feliz

Ser Feliz

25
Out18

O que o meu anjo da guarda me diria hoje...

Carla Lopes Gomes

sol-coracao.jpg

 

Que a vida te cubra de rosas quando os teus olhos já não conseguirem vislumbrar este belo jardim por onde passas diariamente. Que o vento seja o teu aceno de bom dia a passar por mim e que tudo se resuma a um presente livre de dor e onde o amor reinará.

Que a alegria seja a força das tuas entranhas. Que o sorriso seja a tua marca presente num presente que deixou de ser só teu e passou a ser de todos os que acompanham este ritmo alucinante da vida.

Que o brilho das minhas asas seja sempre o teu manto protector e que consigas voar sem asas próprias. Que o meu colo seja o teu colo e que eu possa te transportar quando te sentires enfraquecer. Que a tua força se renove em mim e que tudo persista nesta linha de imenso amor que nos une hoje e sempre.

Que a chuva que cai velozmente sobre o teu jardim seja um regar com reservas para os dias secos. Que possas embuir-te da minha frescura mesmo quando o calor surgir. Que a vitalidade da natureza seja um espelho do que deves ser - puro e obediente à tua essência. Que as aves possam cantar-te e que tu sejas capaz de as perceber.

Que o sol seja um abraçar que vem dos céus e que te permita ver a importância de te abraçares a ti mesmo. Ama-te. Cuida-te. Trata de ti. Tantos dependem de ti. É preciso restaurar forças. É preciso garra. Determinação. Avança. Segue o teu coração. Escuta a tua intuição. Medita contigo mesmo e tirarás as conclusões necessárias.

 

 

15
Out18

Outono, fala comigo

Carla Lopes Gomes

Foto2.jpg

 

Quero muito descodificar o que a vida me tenta transmitir. Vivo a acreditar que a terra respira, que o mundo vibra, que tudo tem um motivo, e que cada um de nós nem sempre o consegue perceber.

Olho à minha volta e tento interpretar os sinais, fazer leitura do que a própria vida me escreve. Em cada linha há uma lição. Em cada parágrafo uma nova aventura.

E tu surges, meu Outono, no meio de tudo isto para me fazeres ver a tua nudez com a queda de lindas folhas, a tua beleza em tons de castanho e dourado, a tua neblina, os dias sombrios, o cinzento do teu céu, a chuva e seus salpicos. O correr das ribeiras, a migração de muitas aves... Tu és um abre olhos. Tu és a mensagem principal que a vida me dá. Tudo se renova, tudo morre e renasce, tudo floresce depois da nudez e do frio.

A vida é muitas vezes Outono, que me avisa que é preciso parar, é preciso pensar, é preciso saber esperar. É preciso enfrentar a chuva, é preciso perder folhas para mais tarde as voltar a ganhar. O Outono é um símbolo de mudança, de viragem. 

E por isso, hoje falo contigo, meu Outono. Orienta-me e ensina-me a seguir no caminho certo. Não peço, porque nunca pedi, o mais fácil. Quero apenas aprender a mudar, e a mudar por querer mudar, não apenas porque a vida a isso me obriga. Quero mudar os percursos necessários para recuperar o equilíbrio necessário a um belo Verão na minha vida. Por isso, meu Outono, prepara-me melhor para a vida. Que eu seja capaz de lutar por uma bonita e breve Primavera.

 

|imagem - Nature Galaxy|

05
Out18

Filho, o poder do teu silêncio...

Carla Lopes Gomes

Meu filho. Meu anjo-da-guarda. Minha companhia. Minha proteção. Meu melhor silêncio. Meu pequeno grande amor. Tu és a prova de que os mais pequenos podem ensinar tanto aos mais velhos. Tão pequenino e já demonstras uma grande força. 

Ontem, a enfermeira perguntava-me se eras feito de borracha. Nem pestanejaste na primeira vacina e à segunda gemeste por poucos segundos. As tuas gargalhadas genuínas e os teus sorrisos tão meigos fazem encher-me de orgulho. Consegues colocar sorrisos nos meus lábios, nos meus olhos e na minha alma. Mas mais do que isso... o teu silêncio faz-me viajar ao meu interior e perceber que o melhor da vida está aqui nos meus braços, a repousar sobre mim.

O teu silêncio e paz provam-me uma vez mais que a grande virtude da vida está em valorizar as pequenas coisas. Porque há pequenas coisas que são tão grandes. E ironicamente há coisas que por vezes julgamos grandes e são tão pequenas perante o que realmente importa. No meu e no teu silêncio peço a Deus que eu tenha sempre a capacidade de valorizar as pequenas coisas e ser fiel à minha humildade. Que seja capaz de te transmitir estes valores e que tu consigas um dia compreender que quanto mais pequeno pensares ser maior te tornarás.

Compre o livro e contribua com 2€ para a Make-A-Wish

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Pesquisar

Arquivo

  1. 2019
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2018
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D